Atravessando o mar da vida

 

Êxodo 14:13-28.

A história de libertação dos israelitas do Egito sempre nos causa impacto quando lemos e desperta em nosso ser profundo temor e confiança em nosso Deus, que é vivo. Especialmente na passagem do Mar Vermelho, vemos o Senhor e somente Ele agindo de forma extraordinária e salvando o seu povo.

Após ter deixado o povo escravo partir, o próprio Deus endureceu o coração de Faraó e ele, juntando o seu numeroso exército saiu  em perseguição dos israelitas. O Senhor estava ensinando ao seu povo a depender unicamente d'Ele, pois lhes daria o livramento.

O povo atemorizado foi até Moisés murmurando (vs. 10-12) mas a resposta do seu líder foi:

"Não Temais, aquietai-vos e vede o livramento do Senhor, que foi hoje, vos fará: porque os egípcios que hoje vedes, nunca mais tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós e vos calareis" (vs. 13-14).

Em nossa vida, às vezes enfrentamos situações para as quais não vemos escape de nenhum modo, e chegamos a pensar que é o fim de tudo.

Mas se nos voltarmos para a Palavra, veremos que em todo o tempo, durante a aflição, o Senhor está presente, Ele jamais nos abandona, como fez com os israelitas, nesta história em pauta.

O Senhor ia adiante deles de dia, como coluna de nuvem, a noite  como coluna de fogo, enquanto caminhavam, sendo seu guia a luz (cap. 13:21-22)

Quando o povo se viu sem saída, veio a resposta de Deus a Moisés:

"Porque clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem, e tu, levanta o teu bordão sobre o mar, e divide-o para que os filhos de Israel que passem pelo meio do mar em seco". (vs. 15-16)

Pode ser que o momento de clamar a Deus já tenha passado também para nós e Ele quer que tomemos da autoridade que Ele nos dá (o bordão) e enfrentemos o inimigo na força do Senhor.

Nós temos a autoridade que o Senhor nos dá, somos seus filhos e herdeiros (Rm. 7:17), estamos assentados em Cristo nas regiões celestes (Ef. 2:6), portanto, devemos, em nome do nosso Senhor e Rei, resistir ao inimigo para que, ele bata em retirada.

"Sujeitai-vos a Deus, mas resisti ao diabo e ele fugirá de vós" (Tg. 4:7)

Precisamos estar atentos, abandonar a passividade em relação as obras das trevas e assumir a posição de autoridade em Cristo, seguindo de forma ativa e ofensiva contra o inimigo.

Quando Moisés estendeu o bordão, conforme a ordem de Deus. As águas começaram a se abrir e foram divididas e os filhos de Israel entraram pelo mar em seco. (vs. 21)

Da mesma forma ocorrerá conosco, quando em obediência a Deus, nos levantamos contra as trevas, resistindo e declarando a vitória de Cristo, que prevalece sobre ela.

Os caminhos se abrirão. Encontraremos soluções, onde jamais poderíamos supor e seremos vencedores.

A promessa do Senhor para Moisés foi que aqueles inimigos nunca mais seriam vistos por eles (Êx. 14:11)

Esta promessa também se aplica a nós, ainda hoje, quando, na força do Senhor, prosseguimos seguindo Sua vontade e direção, sabendo que Jesus já derrotou o inimigo.

A Sua vitória em nossa vida é realidade: os inimigos sucumbirão e nós, jamais os veremos novamente.

Como está escrito: "... e depois, despojando principados e potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz" (Cl. 2:15)

"...para que, por Sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo". (Hb. 2:14)

Prosseguimos, confiantes na Palavra de Deus, mesmo em meio as adversidades, certas de que o Senhor está conosco e age a nosso favor, nos defendendo, auxiliando e conduzindo à vitória.

Com amor,

Pra.Suely Bezerra.